No ar

Jardel Martinazzo

Jornal do Meio Dia

12:00 - 12:59 com Jardel Martinazzo

No ar - Jornal do Meio Dia Ouça ao vivo

A SUPREMA INSEGURANÇA JURÍDICA

A SUPREMA INSEGURANÇA JURÍDICA

Durante muitos anos, discutiu-se, na comunidade jurídica nacional, se as ações de ressarcimento ao erário oriundas de atos dolosos de improbidade administrativa são imprescritíveis (art. 37, §5º, da CF/1988).

Os juristas, na sua maioria, sustentavam que as ações de improbidade administrativa decorrentes de atos dolosos são prescritíveis.

Ou seja, decorridos mais de 5 anos, o suposto autor do ato de improbidade administrativa não poderia mais ser processado. Para tanto, arrolavam basicamente dois argumentos jurídicos: a segurança jurídica e a garantia da ampla defesa.


Recentemente, o Plenário do Supremo Tribunal Federal, em sede de repercussão geral, decidiu, por maioria, no julgamento do RE n. 852.375/SP, essa relevante polêmica jurídica. A tese fixada foi a seguinte: “São imprescritíveis as ações de ressarcimento ao erário fundadas na prática de ato doloso tipificado na lei de improbidade administrativa.”


Em função dessa decisão proferida pela Suprema Corte, um Ex-Prefeito Municipal, por exemplo, após 30 anos do término de seu mandato, poderá, quando já estiver em casa usufruindo da sua aposentadoria, ser acionado pelo Ministério Público para ressarcir, em tese, um dano causado ao erário durante o exercício de seu mandato.


Assim, pela decisão do STF, não há qualquer prazo para o Ministério Público ingressar com ação civil pública de reparação de atos dolosos causadores de dano ao erário. Porém, a mencionada decisão provoca profunda insegurança jurídica para os agentes públicos e terceiros que contratam com Administração Pública.

Decorridos anos da realização do negócio jurídico e/ou da prática de ato administrativo, as partes envolvidas, ainda que sequer guardem lembrança dos fatos praticados, terão de responder, obrigatoriamente, ao processo judicial.


Nesse caso, seguramente, a ampla defesa estará gravemente ferida, pois dificilmente os acusados terão condições de encontrar as provas documentais e testemunhais para fazer uma defesa justa e correta de seus atos.

Nesse caso, o Supremo Tribunal Federal criou, no cenário jurídico nacional, a figura da “suprema insegurança jurídica” para todos aqueles que mantêm relações funcionais ou negociais com a Administração Pública.


Publicado por: Larissa Cavali Data: 18/01/2019 10:13

Fotos




Principais Notícias

Publicado em 24/06/2019 08:42 por Jardel Martinazzo

PRF registra aumento de acidentes e mortes nas rodovias federais de SC no feriadão de Corpus Christi

A Polícia Rodoviária Federal em Santa Catarina encerrou à meia-noite de domingo (23), a Operação Corpus Christi [...]

Publicado em 23/06/2019 08:36 por Jardel Martinazzo

PM apreende equipamento de som após denúncia de perturbação de sossego

A Polícia Militar realizou a apreensão de equipamento de som automotivo após denúncia de perturbação de sossego [...]

Publicado em 22/06/2019 10:34 por Jorge Soldi

Homem é agredido com facão no interior de Capinzal

Um homem foi hospitalizado após ser agredido com golpes de facão no interior de Capinzal. A Polícia Militar tomou [...]

Outras notícias

Publicado em 24/06/2019 10:06

Secretaria da saúde realiza palestra para idosos da UNITI

A Secretaria da Saúde, através da Estratégia Saúde da Família, Unidade do [...]

Publicado em 21/06/2019 16:02

Iniciação a Vida Cristã

No sábado (15) as paróquias que estão inseridas no Projeto Sementeira, [...]

Publicado em 21/06/2019 15:59

LEO Clube Capinzal/Ouro comemora 14 anos de fundação

LEO Clube é um programa juvenil de LIONS Internacional. Os Leo Clubes oferecem [...]

Publicado em 21/06/2019 15:49

MONTAGEM DO ELEVADOR DO HOSPITAL NOSSA SENHORA DAS DORES INICIA EM JULHO

Mais uma vez a direção do Hospital Nossa Senhora das Dores vem a público [...]

Publicado em 21/06/2019 15:32

Mais um passo importante no controle populacional de cães e gatos no Município de Erval Velho

A reunião que aconteceu na quarta-feira (19) teve por finalidade alinhar os [...]

Publicado em 21/06/2019 15:20

VIVA O AGORA

A vida é para ser vivida todo o dia. Não adianta ficarmos adiando. O agora [...]