No ar

Marcio Pedro

Bom Dia Trabalhador

05:00 - 07:59 com Marcio Pedro

Ouça ao vivo Ouça ao vivo

A SUPREMA INSEGURANÇA JURÍDICA

A SUPREMA INSEGURANÇA JURÍDICA

Durante muitos anos, discutiu-se, na comunidade jurídica nacional, se as ações de ressarcimento ao erário oriundas de atos dolosos de improbidade administrativa são imprescritíveis (art. 37, §5º, da CF/1988).

Os juristas, na sua maioria, sustentavam que as ações de improbidade administrativa decorrentes de atos dolosos são prescritíveis.

Ou seja, decorridos mais de 5 anos, o suposto autor do ato de improbidade administrativa não poderia mais ser processado. Para tanto, arrolavam basicamente dois argumentos jurídicos: a segurança jurídica e a garantia da ampla defesa.


Recentemente, o Plenário do Supremo Tribunal Federal, em sede de repercussão geral, decidiu, por maioria, no julgamento do RE n. 852.375/SP, essa relevante polêmica jurídica. A tese fixada foi a seguinte: “São imprescritíveis as ações de ressarcimento ao erário fundadas na prática de ato doloso tipificado na lei de improbidade administrativa.”


Em função dessa decisão proferida pela Suprema Corte, um Ex-Prefeito Municipal, por exemplo, após 30 anos do término de seu mandato, poderá, quando já estiver em casa usufruindo da sua aposentadoria, ser acionado pelo Ministério Público para ressarcir, em tese, um dano causado ao erário durante o exercício de seu mandato.


Assim, pela decisão do STF, não há qualquer prazo para o Ministério Público ingressar com ação civil pública de reparação de atos dolosos causadores de dano ao erário. Porém, a mencionada decisão provoca profunda insegurança jurídica para os agentes públicos e terceiros que contratam com Administração Pública.

Decorridos anos da realização do negócio jurídico e/ou da prática de ato administrativo, as partes envolvidas, ainda que sequer guardem lembrança dos fatos praticados, terão de responder, obrigatoriamente, ao processo judicial.


Nesse caso, seguramente, a ampla defesa estará gravemente ferida, pois dificilmente os acusados terão condições de encontrar as provas documentais e testemunhais para fazer uma defesa justa e correta de seus atos.

Nesse caso, o Supremo Tribunal Federal criou, no cenário jurídico nacional, a figura da “suprema insegurança jurídica” para todos aqueles que mantêm relações funcionais ou negociais com a Administração Pública.


Publicado por: Larissa Cavali Data: 18/01/2019 10:13

Fotos




Principais Notícias

Publicado em 18/10/2019 08:13 por Jardel Martinazzo

Sábado será "Dia D" de vacinação contra o sarampo

Neste sábado (19), será realizado em todo o país o “Dia D de Vacinação contra o Sarampo”. A data é uma [...]

Publicado em 18/10/2019 08:00 por Douglas Varela

Quase R$ 140 mil serão investidos na decoração natalina

O prefeito Nilvo Dorini assinou na sexta-feira (11) a ordem de serviço para a decoração natalina. A Ouroluz Produtos [...]

Publicado em 17/10/2019 15:52 por Douglas Varela

Vereadores aprovam projetos para revitalização da Serra e da iluminação pública no centro

Os vereadores de Capinzal aprovaram na noite de terça-feira (08) dois projetos de lei do poder executivo. O primeiro [...]

Outras notícias

Publicado em 18/10/2019 10:40

Usina Machadinho realiza programação do Outubro Rosa e Novembro Azul

Como ação preventiva ao câncer de mama e de próstata, a Usina Hidrelétrica [...]

Publicado em 18/10/2019 10:06

Há 56 anos era instalada a primeira legislatura na Câmara de Vereadores do município de Ouro

Dezessete de outubro é um dia histórico para o Poder Legislativo do [...]

Publicado em 17/10/2019 16:05

Associação dos Engenheiros Agrônomos da Região de Joaçaba (AEAJO) completa 55 anos

A Organização Agronômica na região do Meio Oeste Catarinense está [...]

Publicado em 17/10/2019 15:58

“BOLSONARO E LULA, SÃO IGUAIS”

Inteligência emocional é o que justifica as razões e os porquês de pessoas [...]

Publicado em 17/10/2019 15:33

COMO CRIAR FILHOS FINANCEIRAMENTE SAUDÁVEIS

Há alguns dias atrás, enquanto conversava com um dos meu clientes em uma [...]

Publicado em 17/10/2019 15:15

QUANDO A RELIGÃO PERDE SEU SENTIDO!

Nosso Brasil é encantador, pois nele temos de tudo: os saudosistas, os [...]