No ar

Marcio Pedro

Bom Dia Trabalhador

05:00 - 06:54 com Marcio Pedro

Ouça ao vivo Ouça ao vivo

Ponte Pênsil Padre Mathias Michelizza é declarada patrimônio histórico de Santa Catarina

Ponte Pênsil Padre Mathias Michelizza é declarada patrimônio histórico de Santa Catarina

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina aprovou na tarde de terça (28), o projeto de Lei de autoria do deputado Cesar Valduga (PCdoB), que declara a Ponte Pênsil “Padre Mathias Michelizza”, entre os municípios de Capinzal e Ouro, como parte do patrimônio histórico, artístico e cultural do estado de Santa Catarina.

Inaugurada em 1934, a ponte é fruto do esforço e dedicação da população. Desde sua construção, passou por várias enchentes e sofreu diversas avarias, sendo sempre reconstruída pela comunidade.

Para o autor do projeto, o momento é de reconhecimento. “Além de suas características arquitetônicas, sua funcionalidade e do fato de ser uma marca dos municípios de Capinzal e Ouro, a Ponte Pênsil é um elemento carregado de sentimento, ligando muito mais que os dois municípios, mas também este povo a seus antepassados”, explicou Valduga.

O texto segue para sansão do governador Raimundo Colombo.

História da Ponte Pênsil

Os Distritos de Ouro e Rio Capinzal, na terceira década do Século XX, pertenciam ao Município de Campos Novos, de vasto território envolvendo o Planalto Catarinense e o Vale do Rio do Peixe. 

Um fator de dificultava a vida da população dos mesmos, principalmente dos moradores da margem direita do Rio do Peixe, era a falta de conexão entre os dois povoados, uma vez que apenas o serviço de balsa e botes era disponível para o transporte de pessoas e produtos de um para o outro. No lado Rio Capinzal,  havia a Estrada de Ferro, inaugurada em 20 de outubro de 1910,  ainda diversas indústrias, hospital,  um comércio bem organizado e até hotéis. No lado de  Ouro, o comércio era bem ativo e a produção agrícola muito forte, até por causa da vocação de seus colonizadores, descendentes de italianos originários da Serra Gaúcha. 

Em 1932, estando em bom estágio de desenvolvimento, precisavam construir uma ligação fixa entre os dois povoados. Então as comunidades, lideradas pelo Sr. José Zortéa, uma pessoa de alto espírito empreendedor, com grande agilidade e muio criativo, fez projetar uma ponte de madeira, sustentada por cabos de aço assentados em pilastras também de madeira. Coube aos Srs. Otávio Ferro e Aníbal Ferro formarem a equipe de trabalho e executarem a obra, pois tinham grandes conhecimentos em crpintaria e marcenaria. 

Para financiar a obra obtiveram, através do Município, uma pequena ajuda do Governo do Estado, mas o custos maiores foram bancados pelos moradores dos dois Distritos. Depois de quase dois anos desde a concepção do projeto, a ponte ficou pronta e teve sua inauguração em 1934, numa concorrida solenidade, quando o Padre Mathias Michelizza, um dos grandes incentivadores da obra, atravessou-a a cavalo. Na parte localizada em Rio Capinzal, havia sobre ela uma Casa de Pedágio, onde os usuários pagavam para passar de um lado a outro. À época,  era considerada a terceira ponte do gênero no mundo.

Porém, por ocasião da grande enchente de 21 de junho de 1939, ela veio a ruir pela força das águas do Rio do Peixe, que atingiram, inclusive, a Rua da Praia, hoje Rua Governador Jorge Lacerda, e a Felip Schmidt. O local onde se situa a Praça Pio XII foi totalmente inundado. Fora uma enchente sem prcedentes. Também houve alagamento na área central da Rio Capinzal.

Mas nossa comunidade, muito unida e determinada, contratou um responsável técnico, o Engenheiro Austríaco Máximo Azinel, que também teve o apoio do prático,  também austríaco,  Antônio Holzmann, e conseguiram reconstruí-la, agora com pilastras de concreto e com um vão central de 84,50 metros e ainda a parte de extensão imóvel. Hoje, na totalidade, atinge 142 metros. A segunda ponte exigiu um investimento de Cr$ 200.000,00 (Duzentos mil cruzeiros), e houve a participação do estado com Cr$ 90.000,00. Os Cr$ 110.000,00 faltantes e ainda muitos serviços, foram bancados pelos moradores dos Distritos de Capinzal e Ouro. Foi inaugurada em 1945. Os nossos benfeitores guardam, até hoje, plaquetas metálicas em que consta serem "sócios" do emprendimento.

Cabe mencionar que tinha uma largula de 3,5 metros, o que possibilitava a passagem de carroças com tração animal e de pequenos caminhões, os quais transportavam artigos de consumo de Capinzal para o Ouro,  e suínos deste para serem abatidos no Frigorífico Ouro, mas que era localizado em RioCapinzal, ali próximo da Estrada de Ferro. 

Alguns anos depois da inauguração da Ponte Irineu Bornhausen, a chamada "Ponte Nova",  inaugurada em 06 de janeiro de 1955, a pista da Ponte Pênsil foi estreitada, ficando na largura atual, apenas permitindo-se a passagem de pedestres.

Na enchente de 07 de julho de 1983, ela foi parcialmente destruída, sendo reconstruída pela ação dos Prefeitos de Capinzal, Celso Farina, e de Ouro, Domingos Antônio Boff. Entretanto, na segunda metade do ano de 1984, pouco tempo após a sua reconstrução, um violento vendaval seguido de ciclone atingiu a área central de Ouro, levando parte da cobertura de alumínio do Ginásio Municipal de Esportes André Colombo e derrubando a ponte. 

Foi uma cena horrível: A cidade escureceu na meia tarde, virou tudo noite, vieram fortíssimas rajadas de vento, o ar frio misturava-se ao quente, formava redemoinhos, as pessoas se agarravam aos postes e mesmo aos pneus dos carros estacionados na rua Felip Schmidt para não serem levadas pela sua força. E, num dado momento, os cabos laterais de segurança foram rompidos, a plataforma de madeira foi lançada ao ar sentido Sul/Norte, até a altura do topo das colunas altas que sustentavam os cabos de aço. 

Com o represamento do vento, foi tanta a força exercida, que as pilastras de concreto quebraram-se ao meio, na altura da plataforma, caindo tudo dentro do Rio do Peixe. Custou-me acreditar que isso tivesse acontecido. Presenciei a cena da janela da sala do Pré-escolar da Escola Prefeito Sílvio Santos, para onde corri quando percebi que vinha a escuridão. Preocupei-me porque esta era uma casinha de madeira, ao lado do prédio principal da Escola.  Com calma incentivei as crianças da Professora Neusa Bonamigo a "brincarem de se esconder" debaixo de suas mesinhas. Formulei uma brincadeira de nos escondermos, pois tive medo de que a edificação também desabasse sobre eles. A professora logo entendeu o que eu estava fazendo e o porquê. . Eu apontava o dedo para a janela sugerindo que fosse olhar sem as crianças notarem aquele cenário desolador. Fazia sinais e ela não imaginava a cena de horror que se passava lá fora. Eu não queria que as crianças se assustassem, mas entendeu que algo se passava e alojou os pequenos sob suas mesinhas.  Evitamos  que as crianças percebessem o que se passava. . Felizmente, nada de mal  lhes aconteceu.

Alguns minutos  depois, a ocorrência de chuva. Um aluno nosso e o filho de uma professora, nossa colega, estavam sobre a ponte, mas conseguiram escapar de cair no rio ou serem atingidos pelos materiais da ponte. Caíram fora das águas. Tudo terminou bem. Mas as águas subiram e levaram todas as madeiras embora, de novo...

No ano seguinte, 1985, foi reconstruída, com o aproveitamento das bases dos pilares e a fixação dos pórticos de sustentação dos cabos de aço sobre essas. Fizeram furações verticais nas pilatras restantes e conseguiram "chumbar" as colunas sobre elas. Tudo ficou bem novamente. Houve substituição do madeiramento por duas vezes, desde então, em 1991 e em 2005, , ficando no mesmo padrão, com o objetivo de preservar seu modelo arquitetônico, uma verdadeira obra de arte. Está ali, impondo sua simplicidade historica, majestosamente, sobre o nosso Rio do Peixe!

(Colaboração blogdoriquetti)

 


Publicado por: Jardel Martinazzo Data: 28/03/2017 22:24



Principais Notícias

Publicado em 19/11/2019 05:08 por Marlo Matielo

Legislativo ourense promoveu a terceira sessão do mês de novembro

O Poder Legislativo do município de Ouro promoveu a terceira sessão plenária do mês de novembro na noite desta [...]

Publicado em 18/11/2019 17:36 por Marines Delazari Varela

Paróquia São Paulo Apóstolo realiza a 6ª edição do Acampamento No Limite com Cristo

Encerrou no domingo (17), com a Santa Missa das 19h presidida pelo Frei Everton, mais uma edição do Acampamento No [...]

Publicado em 18/11/2019 15:36 por Jorge Soldi

Capinzal conquista 21 medalhas na etapa final do Karatê Interestilos de Itapecerica da Serra - SP

Atletas do karatê de Capinzal  participaram da 26ª etapa  Campeonato Brasileiro de Karatê  interestilos entre os [...]

Outras notícias

Publicado em 18/11/2019 11:00

AUTOAVALIAÇÃO: UM EXERCÍCIO ESSENCIAL À EVOLUÇÃO

Segundo Darwin, não são as espécies mais fortes que sobrevivem, nem as mais [...]

Publicado em 18/11/2019 10:51

O PAGAMENTO DE VANTAGENS REMUNERATÓRIAS AOS AGENTES POLÍTICOS MUNICIPAIS

O Supremo Tribunal Federal estabeleceu, em sede de repercussão geral, no [...]

Publicado em 15/11/2019 22:17

A VERGONHA NACIONAL CHAMADA STF!

O Brasil é o país da impunidade, aonde se mistura a troca de favores, quem [...]

Publicado em 15/11/2019 22:14

“AJEITAMENTOS” MUSICAIS DE ATILIO MATÉ

Atilio Maté, 84 anos, pura empolgação musical. Conheci, recentemente, a [...]

Publicado em 13/11/2019 15:06

Masters da Chapecoense inaugura Escolinha de Futebol em Capinzal e Ouro

A Associação Chapecoense de Futebol – Masters,  se apresenta  na [...]

Publicado em 11/11/2019 13:59

Atletas de Capinzal defendem Santa Catarina no Brasileiro de karatê interestilos em Itapecerica da Serra - SP

Entre os dias 14 e 17 deste mês de novembro , acontece em Itapecerica da Serra [...]